Hematologista alerta para importância da doação de sangue

Compartilhe:

A queda nos estoques ocorre no período de maior necessidade

Junho vermelho é o mês de conscientização para a doação de sangue.  Realizada anualmente no Brasil desde 2015, o objetivo da campanha é orientar e incentivar a população a contribuir com os bancos de sangue fazendo doação regular. Em cada doação, uma pessoa doa, no máximo, 450 ml de sangue e essa única doação pode salvar a vida de até quatro pessoas.

O médico hematologista Lucas de Menezes, ressalta que estamos em uma época do ano em que há uma queda significativa nas doações. “Festejos juninos, férias escolares, contribuem para a redução dos estoques e na contramão é o período que mais precisamos, pois são registrados um maior número de acidentes automobilísticos e com fogos de artifício, além disso, nossa rotina hospitalar continua”, alertou o médico que faz parte da equipe Onco Hematos que integra a Rede AMO, Assistência Multidisciplinar em Oncologia.

O sangue é insubstituível e fundamental em cirurgias e vários outros procedimentos, a exemplo de pessoas com doenças que precisam de transfusão sanguínea, pacientes oncológicos, com doenças hematológicas (linfomas, leucemias, anemia falciforme). “Várias pessoas todos os dias precisam de sangue, plasma, plaquetas, que são os principais hemocomponentes, sem isso muitas vidas ficam em risco. Por isso apelamos a população para que doem sangue regularmente e não só quando um parente ou amigo necessita”, ressaltou o hematologista.

Com a retomada dos festejos juninos, o Hemocentro de Sergipe (Hemose), aproveitando o Junho Vermelho, intensificou a campanha de estímulo a doação para manter os estoques de sangue em níveis razoáveis para atender a população. “Muitas festas estão sendo realizadas na capital e interior do Estado, consequentemente um aumento de viagens, deslocamento de pessoas nas estradas. Durante a diversão muitos ingerem bebidas alcoólicas e acabam desistindo de doar”, explicou Rosângela Cruz, assessora de comunicação do Hemose.

Um estudo divulgado no final do ano passado pela farmacêutica Abbott revelou que no Brasil apenas 19% da população doa sangue com regularidade. Sendo que, 23% doam sangue pontualmente, apenas quando algum familiar ou conhecido necessita, e que 48% não tem o hábito de doar sangue. A pesquisa foi realizada em 8 países. No Brasil, foram ouvidos 1052 pessoas de todas as regiões, com idades entre 16 e 64 anos.

Requisitos para doar sangue

O ato de doar sangue é extremamente seguro. Uma pessoa doa, no máximo, 450 ml de sangue e essa doação pode salvar a vida de até quatro pessoas. E o organismo no mesmo dia já repõe a quantidade de sangue que foi retirada na doação. Para doar é necessário ter idade entre 16 e 69 anos. Menores de idade devem possuir autorização do responsável e pessoas entre 60 e 69 anos só podem doar se já forem doadores frequentes. Também é importante estar bem alimentado, descansado (ter dormido no mínimo 6 horas) e apresentar documento oficial com foto.

As doações podem ser feitas no Hemocentro de Sergipe (Hemose), na rua Quinze, s/n no bairro Capucho atrás do Hospital João Alves. E no Instituto de Hematologia e Hemoterapia de Sergipe, na rua Guilhermino Rezende, 18, bairro Salgado Filho.

Ascom/Onco Hematos

Mais Notícias

foto-preto-e-branco-de-mulher-com-dor

Endometriose x Fibromialgia

O-que-e-melanoma-

Descubra os sinais cruciais do Melanoma

anemia

Anemia não é tudo igual

utero

Câncer de colo de útero: prevenção e conscientização

Em que podemos ajudar?